نظرات خوانندگان

Obras De Estabilização De Taludes

"Pedro Bernardo" (2018-06-17)

 |  ارسال پاسخ

fonte do artigo

Trabalho exposto à obediência de Mecânica dos Solos I, divisão do curso de Graduação em Engenharia Civil da Universidade Kennedy, ministrada pelo professor Sérgio P. Araújo. Um número imensurável de pessoas trafega pelas estradas de Minas Gerais. Pensar em nível de pais ou de o mundo todo produziria uma discussão metafísica, o que foge de nosso propósito, logo reduziremos o modelo pras estradas de Minas. E este incalculável número diário de motoristas é submetido a identicamente imensos ocorrências, imprevistos e paisagens. Aproveitando a chance, olhe bem como esse outro blog, trata de um tema referente ao que escrevo nesta postagem, pode ser benéfico a leitura: basta clicar no seguinte post.


Vocabulário aceitável pelo susto e época, mas que hoje seria considerado um pecado acadêmico. Nosso trabalho tem por objetivo definir taludes e tuas formações, discutir sobre as ações instabilizadoras e opções de estabilização, intervenção da vegetação nos taludes e no final das contas exemplificar obras estabilizadoras. Podemos definir talude como uma superfície de solo exposta que maneira um ângulo com a superfície horizontal.


Podem ser classificados como artificial ou natural. Os taludes naturais são comumente populares como encostas e sua denominação feita por meio de estudos geotécnicos. Formados há muitos milhões de anos e encontrados principalmente nas encostas de montanhas. Agora os taludes artificiais são os declives de aterros vários montados pelo homem, onde as ações humanas alteram as paisagens primeiras, atuando sobre isso os fatores ambientais, modificando a vegetação, alterando topografias, podendo inclusive alterar o clima da localidade.


As encostas são montadas por um manto de instrumento decomposto ou manto de intemperismo sobre uma superfície rochosa. Em outras situações entre o manto de intemperismo e o substrato rochoso há um limite gradativo. Os fatores naturais podem atuar isolados ou em conjunto durante o método de geração de um talude natural respondendo pela infraestrutura característica destes maciços. Desejamos identificar estes fatores em dois grupos: Geológicos e ambientais. Geológicos: Litologia, estruturação e geomorfologia: São responsáveis pela constituição química, organização e modelagem do relevo terrestre; à ação deles, soma-se a dos fatores ambientais.


Dessa maneira, a litologia, com os constituintes dos diversos tipos de rocha, a estruturação dos maciços - de um a outro lado dos processos tectônicos, de dobras, de falhamento, etc., e a geomorfologia - tratando da tendência evolutiva dos relevos. Ambientais: Clima, topografia e vegetação: Não necessitam ser considerados isoladamente dos fatores geológicos, e tem como principal agente a erosão, influenciada pelo clima, topografia e vegetação. Na figura acima a potência S é a potência da água que corre superficialmente e produz a erosão do terreno e em alguns casos a voçoroca. A força E é a potência denominada EMPUXO e ela empurra uma cota do terreno para fora do talude, causando desastres.


A força N é a potência da água que percola (anda) dentro do maciço do talude. A potência da água arrasta as partículas finas da terra deixando basta clicar no seguinte post local vazios que vão gerar o adensamento do terreno. Forma-se lama dentro do talude e este desliza sobre isso essa lâmina de lama. Estas situações causam nos taludes deficiência tal de drenagem como da proteção fraco; concentração de água raso e/ou intercepção do lençol freático e deficiência ou falta de drenagem interna. Escorregamento devido à inclinação: Esses escorregamentos ocorrem a toda a hora que a inclinação do talude excede aquela imposta pela resistência ao cisalhamento do maciço e nas condições de presença de água.


A prática tem indicado, para taludes de corte de até 8m de altura, constituídos por solos, a inclinação de 1V: 1H como a mais generalizável. Padrões de inclinação pra talude. Escorregamento por descontinuidades: O contato solo-rocha constitui, em geral, uma zona de transição entre estes instrumentos. basta clicar no seguinte post momento em que ocorre um contraste de resistência acentuado entre eles, com inclinação forte e, principalmente, na presença de água, a zona de contato podes manter a instabilidade do talude.


  • Amendoim - Hymenolobium heringerianum Rizz. (LEGUMINOSAE)

  • HIDROSFERA (Hydrosphere) é o conjunto das águas da Terra

  • 3 - ESCADAS COM SEÇÕES EM CURVA

  • 04 Armazenamento, depósito, carga, descarga, arrumação e guarda de bens de cada espécie

Ou seja, não há uma ligação robusto entre o solo com a rocha, tornando o escorregamento. As descontinuidades geológicas, presentes nos maciços rochosos e em solos de variação, constituem bem como planos ao longo dos quais podes haver escorregamento, desde que a orientação desses planos seja em sentido à via. Escorregamentos por percolação de água: Os escorregamentos, devidos à percolação d’ água são circunstâncias que se registram durante períodos de chuva quando há elevação do grau do lençol freático ou, só, por saturação das camadas rasos de solo. Identificamos que essa seja a causa do imprevisto que ocorreu de um dos integrantes de nosso grupo de estudo: saturação da camada raso do talude, seguido de escorregamento na BR-381.


No momento em que os taludes interceptam o lençol freático, a manifestação, eventual, da erosão interna poderá auxiliar pra sua instabilização. Escorregamento em aterro: O projeto de um aterro implica pela consideração das características do objeto com o qual vai ser elaborado, como também das condições de sua fundação. No momento em que construídos sobre o assunto rochas resistentes, os aterros se revelam, em geral, estáveis por bastante tempo. Por descalçamento; em taludes com camadas sedimentares de diferentes resistências à erosão e à desagregação superficial. Em qualquer ocorrência, a conseqüência poderá ser a obstrução da rua, parcial ou inteiramente.


A abaixo ilustra um corte em rocha fraturada protegida com telas de arame de alta resistência. Solo Reforçado: Consiste pela introdução de elementos resistentes na massa de solo, a ponto de acrescentar a resistência do maciço como um todo. O esquema de efetivação é o chamado "Down-Top" (de pequeno pra cima). Ao longo da efetivação do aterro a ser reforçado, a cada camada de solo compactado executada, faz-se o intercalamento com uma camada de elementos resistentes. À medida que o aterro vai sendo alteado, o talude reforçado vai tomando forma.


Geralmente, a face do talude reforçado recebe um revestimento, para que dificuldades, como erosão, possam ser evitados. Aterro compactado: Infraestrutura de disposição de solo e/ou fragmentos de rocha, em aterro, produzindo redução de volume e conseqüente redução de porosidade, o que estabelece o acrescento de densidade (a começar por compactação) e a redução da permeabilidade. A compactação do material de um aterro é executada pra prevenir a situação de erosão e escorregamento e, ainda, atenuar o desconforto membro ao impacto visual causado na presença de grandes volumes de equipamento dispostos de forma não uniforme. Terra Armada: Os elementos de reforço são tiras metálicas, que recebem tratamento especial anticorrosão.



افزودن نظر